PROTETOR SOLAR: MITOS E VERDADES - Ada Tina

PROTETOR SOLAR: MITOS E VERDADES

Para ajudar você a manter a pele sempre protegida contra os malefícios dos raios solares, conversamos com o farmacêutico e especialista em cosméticos, Maurizio Pupo. Juntos, desvendamos os principais mitos e verdades sobre a proteção solar da pele. Confira!

 

O filtro solar corporal pode ser aplicado no rosto sem problemas.

 

Mito! Se engana quem pensa que utilizar o protetor solar corporal na face pode ser uma boa ideia. Este produto, quando fabricado para a pele do corpo, contém maior oleosidade em sua formulação. Este excesso de substancias oleosas não é um problema para a pele corporal, naturalmente mais ressecada. No entanto, ao aplicar este produto na pele do rosto, região com maior número de glândulas sebáceas, podemos sobrecarrega-la. “A consequência pode ser brilho e oleosidade excessiva, além do aparecimento de acne e até mesmo dermatites”, explica MaurizioPupo. De acordo com o especialista, o ideal é sempre investir em fotoprotetores específicos para proteger a pele do rosto que em geral são mais secos.

 

Não há necessidade de aplicar o fotoprotetor em dias nublados ou com pouco sol

 

Mito! O filtro solar deve sempre ser sempre aplicado todos os dias! Maurizio Pupo esclarece que é papel do filtro solar proteger a pele contra a ação dos raios UVA, radiação responsável pela degradação da pele e intensificação do processo de envelhecimento, e também dos raios UVB, capazes de ocasionar graves queimaduras e vermelhidão intensa na pele.  Apesar da diminuição dos raios solares em dias nublados, ambas as radiações ainda possuem forte incidência, podendo ainda lesionar gravemente a pele. Por isso, o especialista recomenda investir sempre em um bom protetor solar todos os dias do ano, aplicando o produto diariamente logo pela manhã.

 

O uso diário do protetor solar previne o envelhecimento precoce da pele

 

Verdade! O sol é o maior inimigo da saúde da pele e, por isso, seu melhor amigo é o protetor solar. A incidência dos raios solares sobre a pele é capaz de aumentar a produção dos radicais livres, degradando o colágeno, elastina e ácido hialurônico presentes na pele. Sem preenchimento e com menos fibras elásticas, a pele tende a ficar flácida, com novas rugas e linhas de expressão. Logo, a melhor opção ainda é investir na proteção contra os raios UVA e UVB, com o uso de bom protetor solar e de preferência que possua 12 Horas de Proteção. “Não existe nada que envelheça tanto a pele quanto o sol”, conclui Maurizio Pupo.

 

Não é possível ficar bronzeada ao aplicar o protetor solar

 

Mito! Normalmente, as pessoas acreditam que bronzeador, protetor solar, fotoprotetor,bloqueador solar são produtos diferentes, mas, na verdade, todos são extremamente parecidos. Perante a ANVISA, Agência reguladora vinculada ao Ministério da Saúde, todos estes produtos são classificados como protetor solar, e tem como objetivo proteger a pele contra os raios do sol.

 

No entanto, MaurizioPupo aconselha: para ter uma pele saudável e bonita, o ideal é evitar a prática do bronzeamento. “O bronzeado só ocorre quando o nosso DNA é danificado”, explica, “a exposição solar excessiva compromete as células da pele que, na tentativa de se manter saudáveis, produzem uma quantidade grande de melanina, um fotoprotetor natural como forma de defesa”. De acordo com o especialista, todo bronzeamente significa em última instância uma grave lesão ao nosso DNA resultando fatalmente em envelhecimento precoce, manchas e até câncer de pele.

 

Artigos Relacionados